Cheguei faz pouco tempo, menos de dois meses ainda, mas já estou flanando pelas ruas, me deliciando com pratos diferentes, me encantando com praias, cafés, restaurantes e lugares inusitados, aprendendo com as diferenças da língua, da cultura e das pessoas, e, estou acima de tudo me conectando com o novo.

Minha formação é de relacionamento, mas antes de me entender Relações Públicas eu já usava a conexão com as pessoas, e, com a vida, para seguir. Então hoje, aqui, em outro país, com um mundo de oportunidades novas a cada instante a rede de energia entre lugares e pessoas, é o meu maior patrimônio.

Aqui vou listar ainda poucos lugares que visitei, mas falar das experiências incríveis que já vive aqui em tão pouco tempo.

Entreposto Assados

Tive o prazer de conhecer o casal Roberto e Roberta Pinheiro, ambos gaúchos de Porto Alegre, desembarcaram em Portugal depois de entender que era o lugar que gostariam de morar várias viagens para a Europa, e, claro trouxeram consigo a arte do assado ao redor do fogo.

O Entreposto Assados é a primeira parrilla do Estoril, cidade litorânea, vizinha de Cascais e um dos lugares mais lindos de Portugal. O restaurante é especializado em carnes do Uruguai e os cortes diferenciados, fazem o sucesso do lugar. Em plena pandemia o casal Roberto e Roberta decidiram deixar o Brasil e migrar para Portugal, país que sempre visitaram em férias e escolheram como sua casa, em busca de segurança e qualidade de vida.

Mas, ele apaixonado pelo mundo dos assados e pela experiência que o ritual ao redor do fogo tem, não imaginou outro caminho a não ser abrir em terras portuguesas uma casa de carnes. Para o Entreposto, o assado é muito mais do que uma técnica culinária, o famosos churrasco uruguaio transcende este conceito. O assado une as pessoas, valoriza o convívio entre os amigos e torna uma refeição um encontro especial. “Ao redor do fogo compartilhamos grandes momentos de alegria e amor, assim “Beto” como é conhecido, resume seu trabalho.”

O lugar é pequeno e cheio de estilo. As mesas na esplanada (como eles aqui chama os Decks), cuidadosamente dispostas, a louça e os talheres são carinhosamente entregues ao cliente que chega ao restaurante, o meu é enxuto e o foco são as carnes de excelente qualidade. Eu fui de prato do dia e tive a sorte de provar uma picanha no ponto, chimichurri e uma farofa inexplicável.

Ah, e a água, que chega em uma linda garrafa com logo do restaurante é cortesia da casa. Só isso já me ganha, mas teve mais: sabor, entrega, estética (a picanha chega em uma tábua e os acompanhamentos em ramekins), atendimento sorridente, coisa que em Portugal é bem diferente, o atendimento é literal, direto e de pouca conversa, e, para finalizar teve panqueca de doce de leite (uruguaio). O almoço foi uma experiência incrível.

WelWell Center

Conheça o WelWell, um oásis de calmaria e acolhimento para todos os que transitam por Lisboa. WelWell é um lugar enigmático no Príncipe Real, em Lisboa. Mistura restaurante, mercado gourmet, loja collab com moda ética e artesanal por @beatrizlosso, exposição de arte, vinoteca, eventos diferenciados e espaço de acolhimento ao viajante.

O conceito? Welcome & Wellness Center, onde a arte de bem-receber e da energia da troca faz toda a diferença.

Welcome – bem-vindo

Wellness- bem-estar

Pratos saborosos e muito bem apresentados, ambiente charmoso, destaque para a playlist e para os vinhos. O cardápio é democrático e tem muitas opções para veganos e vegetarianos. O brunch é uma excelente pedida e tem pão de queijo e dadinho de tapioca, para matar a saudade do Brasil. Na parte de cima, além da loja com itens lindos, roupas, acessórios e peças na linha do Wellness, há um espaço para deixar as malas, tomar um banho ou até descansar (de uma a 3 horas). A ideia é ser um ponto de apoio para quem precisa pegar um voo, um trem ou está de passagem pela capital do país.

Adriana Bechara é o nome por trás do sonho. A ideia, o projeto e a concepção do WelWell é da brasileira que vive em Lisboa, e é um doce de pessoa. Com um currículo invejável, a jornalista de moda, que já passou pela Vogue e Glamour, se apaixonou por Lisboa depois de uma viagem de volta ao mundo, e planejou com muito esmero tudo o que você vai encontrar, e se encantar, no Wel Well. A sugestão dela foi uma toast de mozzarella, salsa de tomate fresco e pesto de manjericão (com uma pitada de limão, dos Deuses) e um “copo” de vinho verde (aqui a taça é chamada assim), para complementar.

Take a Break

Um lugarzinho pequeno e simpático em Carcavelos. O lugar é uma graça, cheio de plantas e detalhes na decoração que deixam a gente muito à vontade. O cardápio é bem democrático e vegetarianos, veganos e alérgicos podem frequentar numa boa. Tem leite vegetal, pratos sem carne e sem proteína animal. Tem panquecas, sanduíches e saladas e também tem o brunch que é um espetáculo de cor e sabor. 

Você pode se deliciar com um café da manhã caprichado, um chá da tarde ou apenas um pausa no dia a Aida (como o nome já diz) e aproveitar a vida. Os bowls com frutas, iogurtes e frutas são verdadeiras obras de arte e as panquecas, ah, as panquecas, são indescritíveis.

O atendimento é feito por lindas moças que atenciosamente mostram o cardápio e fazem com que realmente a pausa do dia valha a pena. Ah, quase ia esquecendo, se não estiver com fome NÃO peça a bagell do Take a Break, porque é gigante, deliciosamente linda e você não vai dar conta, só aviso. 

Be Sushi

Mais uma surpresa que encontramos, desta vez totalmente por acaso, em Carcavelos. Para quem não sabe Carcavelos pertence ao concelho de Cascais e fica bem pertinho do centro histórico da cidade. Pesquisamos no google um sushi para podermos matar a saudade do Galangal, em Canela. Encontramos um sushi bem pequenininho e perto da nossa casa, resolvemos arriscar. A surpresa já começa na localização, em uma rua lateral, fora do fluxo da cidade uma portinhola preta nos espera.

Como não havíamos feito reserva fomos convidadas a sentar no balcão, que para mim é sempre o melhor lugar do restaurante. Ali, pudemos ver uma aula de gastronomia asiática. Os 5 sushiman que estavam atrás do balcão pareciam participar de um balé. Com uma sincronia incrível e silêncio absoluto os pratos iam sendo passados por baixo do painel de acrílico que separa o balcão da cozinha. O que chegava era mais do que um prato bonito de sushi, era realmente arte. Todas as peças limpas, sem aquele exagero brasileiro de decoração ou cream cheesse, e incrivelmente saborosos.

Cada detalhe pensado, os molhos diferentes, ácidos e com sabores muito diferentes do que estamos acostumados. Foi uma noite surprendente e diferente. O Be Sushi não serve sequencia ou buffet de sushi (graças a Deus), a opção são os combinados ou o menu degustação, que foi nossa escolha. Foram 5 pratos, um mais delicioso do que o outro. Não é barato, cerca de 25 euros por pessoa, e, para nós brasileiros acostumados à fatura pode parecer muito dinheiro para pouco sushi, mas a experiência como um todo foi fantástica. Vale à pena.

Fauna e Flora

Em Estoril, bem ao ladinho de Cascais, e em frente ao mar descobrimos esse restaurante que mescla cafeteria e brunch. O cardápio é totalmente inclusivo com pratos deliciosos, e lindos, para veganos e vegetarianos. Juro que provei varias coisas e tudo é espetacular. Temos que parar de achar que comida inclusiva é sem sabor e sem graça. Não é, e o Fauna e Flora está aqui para provar. Um lugar descontraído, mesinhas na rua e super concorrido na hora do almoço. 

Time Out

Ao pé do Cais do Sodré, principal estação de comboio (trem) de Lisboa fica esse espaço democrático que oferece o que ha de melhor em gastronomia de Portugal. Um food hall onde você encontra vinhos, charcutaria, sushi, hambúrguer, pratos clássicos da culinária portuguesa e até stands de renomados chefs do país Alexandre Silva, Miguel Castro e Silva, Marlene Vieira, João Rodrigues e Henrique Sá Pessoa. As bancas originais do mercado tradicional de peixe, frutas e legumes ocupam a outra metade do edifício histórico. Tudo organizado, rápido e descontraído.

O lugar foi pensado pela Revista Time Out e os lugares foram escolhidos com base nas sugestões dos críticos, colaboradores eitores, para reunir embaixo do mesmo teto só o que há de melhor. Demais né?

Heim Café

Breaksfast and Brunch, o nome já entrega né?

Um lugarzinho super aconchegante, pequeno e muito diferente em uma esquina qualquer de Lisboa. Foi assim que a chef Livia (@cozinhadalivia) nos encontrou em uma manhã ensolarada. Ela fez questão de falar do café, dos atendimento e também do cardápio que tem maravilhas que amo. Panquecas, Pão tostado com ovos estalados, bacon e avocado toas perfeitos.

Os ovos escalfados (que eu AMO) estão por todo menu e me deixaram com sorriso de orelha a orelha. O papo com a Lívia ajudou, claro, a jovem chef é cheia de energia e sua trajetória na cozinha me inspira. Adorei o café, o brunch, o encontro e as possibilidades de novos caminhos. Que é exatamente o que busco aqui.

Floriano e Giuli

Aqui a dica não é de onde ir, mas de QUEM faz acontecer. O casal é gaúcho e mora em Cascais há alguns anos. Logo que soube que eu viria para cá chamei o Floriano e já fizemos contato. A Giuli me ligou na primeira semana e convidou para um café, apresentou outras duas queridas amigas especiais, Jaque e Lúcia, e fez questão de me integrar ao seu círculo de amigos.

Pronto, já me sentindo em casa provei da comida deles. O Floriano um dos melhores Chef do país e a Giuli uma doceira de mão cheia. Eles fazem um menu a cada semana e entregam em casa. Sim, comida de chef na porta de casa todas as sextas e sábados.

Provei já a paleta de cordeiro, assada em baixa temperatura, ao molho de cogumelos e vinho tinto (português, claro), com couscous e legumes tostados. Um escândalo de tão bom. Pra mim a Giuli fez ambrosia, bem brasileira, para matar a saudade de casa.